Pular para o conteúdo principal

Analisando as coisas



Elas não têm sentindo
Parece que são coisas
Que só acontecem comigo
Eu acreditei no amor
Mas ele me traiu
Ele foi embora junto
Com o mais lindo sonho juvenil
Eu era tão menina só
Sorria quando via o sol
Veio a bruxa má
E mostrou como a vida era má
Também eu chorei demais
Por alguém que nunca amou
Anos passam tão depressa
Coração não tem rancor
Mas ele tem memória porque é com ele que eu lembro
Paixão mal resolvida atrapalha o seguimento da vida
Analisando a dor
Foi só decepção
Cada palavra no ouvido , guardei no coração
E como é que fica a vida
Se não lembro como terminou
Seguir em frente sozinha
Sem a menina que eu sou
Quem sabe  te reencontro só para desabafar
Eu acho que vou  sofrer , eu  sei que vou chorar
Mas olharei nos teus olhos
E direi que te amei
Não tinha maldade, mas amor eu tinha, eu sei
Desculpe por não ter sido A garota dos teus sonhos
Você foi o grande amor
Da menina que eu fui
Da mulher que hoje eu sou
De todas as lembranças ruins
Eu não sei o que dói mais
Se  é lembrar o que foi bom
Não sei se acredito mais
No motivo que terminou
Esse amor que hoje dói
Para você é um tanto faz
Fui mais uma moça jovem
A sofrer por um rapaz
Mas não é assim que eu vejo
Lembro da minha emoção
A cada novo beijo
Suave fria a minha mão
Que pena eu tive que crescer e hoje vivo um papel
Mulher que vive bem a vida
Não conta o passado ao novo
Mas o novo não tem graça, nunca é o que espero
O novo não tem a emoção daquele momento eterno
O que será de mim  não sei
E não sei pra onde eu vou
O novo já passou de novo
Nem chegou a ser amor
Analisando a minha vida
Tive que rever a historia
Queria uma chance ainda
Queria você agora.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A morte da menina

Morreu ela.
Coitadinha.
A menina,
menininha.
E agora,
Quem enterra?
Quais as culpas,
morrem com ela?
Você que vive,
Me diga por favor,
Como é viver
Sem ser digno?
Morreu você,
Morreram todos.
Andam sem saber,
Que todos somos.
Somos culpados
e inocentes,
Sangue derramado,
Vida inconsequente.
Você é melhor que o morto?
Na escala de quem?
Você se faz melhor que outro,
só por rezar e dizer amém?
Amém uns aos outros,
malditos infelizes.
Não adianta fazer tatuagem,
nas suas cicatrizes.
Vocês a mataram,
Ela morreu sem saber.
Que com a força que ela tinha,
não dependia de vocês.
Morram nos seus casamentos,
morram nas suas rotinas,
Mas não se achem mais vivos,
Que aquela formalizada morta menina!

Abismo

Quantas vezes por dia você morre?
Quantas vezes numa vida é possível morrer?
Quantas feridas abertas você socorre,
Quantas pessoas amigas ferem você?
Eu estive tão perdida,
Eu sai de lá mas às vezes eu volto.
Por que  não me tiraram de lá?
Por que me deixaram ir?
Alguns passos e eu caio em mim mesma,
Quando eu mergulho eu sofro,
Mas é melhor mergulhar que estar assim,
Submersa, sensível, arranhada.
A apatia é um desespero,
Que já estourou a garganta.
Eu sou sempre um recomeço,
Nesse ciclo que me cansa.
Me empurraram para o abismo,
Mas eu estou flutuando até agora.
Eu não sei até quando eu aguento,
Mas o meu tempo não é medido em horas.
Eu duvidei de mim mesma, porquê?
Se eu ouvisse de outros lábios,
Talvez eu acreditasse, me libertasse, fosse para longe.
Quantas realidades cabe na sua ilusão?
Aquele sim do altar se transformou em não.
Você pisa nos seus sonhos, igual pisa no chão.
Eu conheço esse sabor, agridoce da desilusão.
Eu estou em outro lugar,
Entre o mundo real e o que eu sem…

Rei

Acaba com tudo,
acaba com isso,
Ó poderoso, rei dos reis.
Acaba com o mundo,
Ou muda tudo,
Ó poderoso, eu sou, eu sei.
Será que está assistindo,
Qual prazer isso lhe dá...
Será que mora em todo mundo,
Qual a maldade escolheu inventar.
Se fosse eu criador
Não teria criaturas sem amor.
Mas dão o nome de liberdade,
E ficam expostas as verdades.
Olho para o céu, ou para o mar.
A perfeição é tanta...
Mas está difícil caminhar.
Dói a garganta, arranha.
Se eu soubesse que é bom o lado de lá,
Eu iria agora mesmo.
Mas será a fé apenas um desespero
da vida adulta na infância.
Acaba com a dor, ou me ensina
Como ser daquelas pessoas que sabem sorrir.
Se existe uma luz de verdade aí em cima,
Ilumina o mundo e caia sobre mim.
Será a vida somente isso,
Luta e respira tão pouco.
Ainda bem que o amor é ilusão,
Pois só ilusões dão sentido a esse mundo tolo.