sábado, 7 de maio de 2011

Eu não preciso mais das musicas



Eu não preciso mais das musicas, dos filmes, ou dos livros para chorar
O choro vem da alma, sem esforço, do fundo... O choro vem das constatações
Dos medos. Dos dias...
Não preciso mais de histórias, eu tenho o meu passado. E por mais que haja, e há um horizonte em minha frente... Ele parece não servir mais... Eu pareço não ser mais.
Não ser mais ninguém nem para mim. O choro vem daí. A lágrima é tão natural como foi quando eu percebi que as coisas mudam, e que as pessoas são elas mesmas, mas elas mudam.
E eu amaldiçoei a mim mesma,quando pela falta de experiência, sofri de excesso de esperança. E somos humanos. E devemos prosseguir. Mas o horizonte não está aqui.
È tão instantâneo, quase que diariamente... Eu vou viver uma rotina que nunca muda.
E se muda, eu nem percebo. Porque você está nela. Você é maldito, você é como um câncer que destrói o sonho. A vida me cobra, eu tento ser. Eu juro por Deus que eu fiz, nesses últimos anos, tudo o que eu chamo de ‘viver’. Mas é tão injusta, quanto curta.
E eu que sempre erro? E quando virá a volta por cima? Mochila nas costas, para outra vida nova?
Como pode uma pessoa ser tão humano e falho como você e ser tão importante?
Perguntas sem respostas. O choro vem daí. Não é da saudade, não é da luta, não é da falta que faz algo novo. O choro vem da vontade de ser, de ter. Quanto tempo mais eu vou viver fora de mim? Assistindo a uma vida que me leva para lugar nenhum?
Quantas esperanças que vou ter que renovar, quando tudo o que eu quero é ver você voltar?
Eu errei. Ponto. Não podia? Não tenho também esse direito?
A lágrima vem daí. Você vive; eu não. Eu tento ser, me moldar, me encaixar para você. Mas os nossos caminhos não são iguais. Só me resta aguardar..aguardar a tal segunda chance.
Mas Deus sabe que eu não possuo poder sobre o tempo. E acho que se possuísse algum poder, ia querer acabar com a dor. Apenas isso. Iria viver de outra maneira, e o meu horizonte não acabaria amanhã... E a saudade se transformaria em paz, e você não seria mais nada para mim. Eu não tenho esse poder. O choro vem dai.

Esperança



As vezes tudo o que é preciso é calma
Ser calmo, não é ter paciência
é saber esperar
E saber esperar é um pouco mais que paciência
È ter esperança
E ter esperança é um pouco mais do que apenas esperar
È saber que vai acontecer
É saber que é seu
È saber que no relógio da vida
A sua hora está marcada
E essa é a diferença
È saber que está fazendo por onde
E que o que é seu está guardado
E como é dificil passar por essas etapas
Aprender a ter calma, paicência e esperança
E como dói o sentimento de injustiça
de indiferença, de desesperança
Mas as vezes é preciso ter fé
Pois fé é um mais que esperança
È a certeza inabalável
È remar contra a maré
È acreditar no que ainda não se vê
È fazer existir o que ainda é só uma hipótese
È mais que possibilidade
È viver com que é seu de verdade
Talvez falte um pouco de cada
Para que o meu sorriso sobreviva
Para que a minha estrada continue
Para que a minha esperança resista
E eu que não controlo o tempo
Aprendi que nem tudo é como a gente quer
Talvez eu ame o meu medo
Talvez seja o que Deus quiser
Talvez eu aprenda com tudo isso
Que não se muda o que já sabe
Talvez venha o seu sorriso
Para que a minha fé nunca se acabe.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Ponte

 
Eu sei que depois eu vou me arrepender
e dizer que bem que eu podia ter tentando
e pensar que poderia ter tido peciência
e que deveria ter esperado..
Mas como que se toma uma decisão assim?
sem levar em conta o que está sentindo
sem pensar no que te deixa assim
sem pensar para que lugar está indo
e como que se passa por cima de tudo
e do próprio objetivo
por algo que não vai mudar o mundo
nem seu próprio destino?
Como que posso atravessar a ponte
sem saber se quero ir para o outro lado?
e eu que não consigo viver
sem ser fiel ao meu desejo de ser
e a opinião de todos
confunde a mente, mas não as metas
me faz perder o jogo
e eu não sei o que vou encontrar
nem se vai valer a pena
mas a ponte pede para passar
porque a estrada está pequena
e eu sei que se eu for
posso não mais encontrar o que deixei
mas é um jogo,eu sei que é
eu posso perder, isso também sei
Mas se eu não arriscar
nunca vou ver o meu limite
e quem tenta, vai á luta
pode se descobrir um vencedor
e quem fica, não arrisca
pode perder o que conquistou
e se a vida é feita de fases
e se há uma ponte para passar
sei que vou confiante
e que chegarei a algum lugar
pois mais importante que o caminho
é o meu objetivo
e se não der certo, não foi um erro
foi o meu futuro acerto
e se eu cair, eu levanto
e se eu for devagar eu chego
já será uma conquista, só de passar
pois quem deu o primeiro passo
já não está no mesmo lugar.

domingo, 1 de maio de 2011

o mar




Eu andei pensando
pensei em mudar
mudar todos planos
mudar de lugar
mudar de ponto de vista
e o jeito de encarar
mudar todo o rumo
de quem já começou a caminhar
Mudar como tudo
assim como mar
o mar de emoções
que ouvi falar
Mudar de sonho e também
a maneira de sentir
que o mar revolto
ainda está em mim
mudar a onda que vem
pois que foi já não está
passar a olhar também
o horizonte a conquistar
mar, amar,mudar
todas ondas azuis
quem sabe o que é chorar
sabe ver uma luz
e peço a rainha do mar
que acalme essa onda
e peço ao dono do amor
que saiba onde o meu amor anda
e peço ao dono do vento
que acerte a direção
e peço ao senhor do tempo
que dê tempo a minha emoção
enquanto o mar apenas vem
e a onda apenas vai
e eu pensando bem
sou dona do mar também.

Presença

Não sabia a diferença entre a presença e o nunca estar. Eu não soube desde sempre, Eu nunca estava lá. Só algo que já passou, Ou semp...