Pular para o conteúdo principal

O dono do Tempo



Um homem queria o tempo.
O tempo todo para si.
Pensou em guardar sem ventos
O tempo que queria viver.
Ele queria comandar tudo
e evitar as coisas ruins
Se ele fosse dono do tempo
O tempo todo seria feliz.
As crianças não cresceriam
e as mulheres sempre tão jovens
Os bebês não falariam
Não haveria dor num corte
O tempo ele guardou
mas as coisas ficaram tristes
Não havia brincadeiras na rua
casais não tinham ciumes
Meninas não largavam as bonecas
e o cemitério seria um fracasso
O tempo que não passa
Ninguem tinha nenhum trocado
Não chegou o tempo de coisas boas
quem não tinha nada, continuou assim
A barba grisalha era estranha
quem não tinha, não teria enfim
O homem não gostou de ver
Queria crianças crescendo
Queria ver o tempo de mudar
queria ver pessoas amadurecendo
Ele foi no grande baú
e resolveu soltar o tempo
Mas o tempo havia passado
quase não se reconhece no espelho
Meu Deus, que atitude banal!
Prender o tempo é impossivel
Foi ele quem parou no tempo
Quando pensou que controlasse tudo.

Comentários

  1. realmente..nao seriamos felizes se parassemos o tempo..parabens!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A morte da menina

Morreu ela.
Coitadinha.
A menina,
menininha.
E agora,
Quem enterra?
Quais as culpas,
morrem com ela?
Você que vive,
Me diga por favor,
Como é viver
Sem ser digno?
Morreu você,
Morreram todos.
Andam sem saber,
Que todos somos.
Somos culpados
e inocentes,
Sangue derramado,
Vida inconsequente.
Você é melhor que o morto?
Na escala de quem?
Você se faz melhor que outro,
só por rezar e dizer amém?
Amém uns aos outros,
malditos infelizes.
Não adianta fazer tatuagem,
nas suas cicatrizes.
Vocês a mataram,
Ela morreu sem saber.
Que com a força que ela tinha,
não dependia de vocês.
Morram nos seus casamentos,
morram nas suas rotinas,
Mas não se achem mais vivos,
Que aquela formalizada morta menina!

Rei

Acaba com tudo,
acaba com isso,
Ó poderoso, rei dos reis.
Acaba com o mundo,
Ou muda tudo,
Ó poderoso, eu sou, eu sei.
Será que está assistindo,
Qual prazer isso lhe dá...
Será que mora em todo mundo,
Qual a maldade escolheu inventar.
Se fosse eu criador
Não teria criaturas sem amor.
Mas dão o nome de liberdade,
E ficam expostas as verdades.
Olho para o céu, ou para o mar.
A perfeição é tanta...
Mas está difícil caminhar.
Dói a garganta, arranha.
Se eu soubesse que é bom o lado de lá,
Eu iria agora mesmo.
Mas será a fé apenas um desespero
da vida adulta na infância.
Acaba com a dor, ou me ensina
Como ser daquelas pessoas que sabem sorrir.
Se existe uma luz de verdade aí em cima,
Ilumina o mundo e caia sobre mim.
Será a vida somente isso,
Luta e respira tão pouco.
Ainda bem que o amor é ilusão,
Pois só ilusões dão sentido a esse mundo tolo.