quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Sobre a Tragédia de Santa Maria




O beijo de boa noite,
 Que nunca mais será dado.
 A correria e a mãe,
 Ainda lhe entrega o casaco.
 A diversão e a juventude,
 Era apenas uma fase.
 A vida escorreu pelas mãos,
 Isso não cabe em nenhuma frase.
 Os heróis traumatizados,
 A fumaça sufocou os sonhos.
 A saída que não foi encontrada,
 A garganta que não gritou.
 A mãe que esperava acordada,
 O sonho que não voltou.
 E o futuro que era tão lindo,
Foi embora de uma vez.
Pulmões inundados de lágrimas,
 de quem sobreviveu e morreu uma vez.
 E a barriga que crescia,
Os primeiros passos e as quedas.
 O sorriso de um filho,
 Que é lembrado naquele momento.
 Os filhos sempre crianças,
 Viraram anjos em outros braços.
 Santa, Santa, Santa Maria!
 Quantas Marias estão chorando?
 E a Maria que também é mãe,
 Pegou no colo tanta gente adulta.
 Que parecia criança,
 Que não tinha esperança...
 Que queria acordar,
 do pesadelo de respirar.
 Sim.. ela respirava,
 O filho não.
 Jovens,sonhos,meninos...
 OS heróis não foram em vão.
 Para quem se foi
 Que esteja nos braços da maior mãe!
 para quem ficou
 que sinta empatia; mas não viva na dor!
 Muitas coisas não se explicam,
 elas apenas acontecem.
 Não chorem SANTAS MARIAS!
 Seus anjos apenas adormecem!

Um comentário:

Presença

Não sabia a diferença entre a presença e o nunca estar. Eu não soube desde sempre, Eu nunca estava lá. Só algo que já passou, Ou semp...