Pular para o conteúdo principal

Sobre a Tragédia de Santa Maria




O beijo de boa noite,
 Que nunca mais será dado.
 A correria e a mãe,
 Ainda lhe entrega o casaco.
 A diversão e a juventude,
 Era apenas uma fase.
 A vida escorreu pelas mãos,
 Isso não cabe em nenhuma frase.
 Os heróis traumatizados,
 A fumaça sufocou os sonhos.
 A saída que não foi encontrada,
 A garganta que não gritou.
 A mãe que esperava acordada,
 O sonho que não voltou.
 E o futuro que era tão lindo,
Foi embora de uma vez.
Pulmões inundados de lágrimas,
 de quem sobreviveu e morreu uma vez.
 E a barriga que crescia,
Os primeiros passos e as quedas.
 O sorriso de um filho,
 Que é lembrado naquele momento.
 Os filhos sempre crianças,
 Viraram anjos em outros braços.
 Santa, Santa, Santa Maria!
 Quantas Marias estão chorando?
 E a Maria que também é mãe,
 Pegou no colo tanta gente adulta.
 Que parecia criança,
 Que não tinha esperança...
 Que queria acordar,
 do pesadelo de respirar.
 Sim.. ela respirava,
 O filho não.
 Jovens,sonhos,meninos...
 OS heróis não foram em vão.
 Para quem se foi
 Que esteja nos braços da maior mãe!
 para quem ficou
 que sinta empatia; mas não viva na dor!
 Muitas coisas não se explicam,
 elas apenas acontecem.
 Não chorem SANTAS MARIAS!
 Seus anjos apenas adormecem!

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A morte da menina

Morreu ela.
Coitadinha.
A menina,
menininha.
E agora,
Quem enterra?
Quais as culpas,
morrem com ela?
Você que vive,
Me diga por favor,
Como é viver
Sem ser digno?
Morreu você,
Morreram todos.
Andam sem saber,
Que todos somos.
Somos culpados
e inocentes,
Sangue derramado,
Vida inconsequente.
Você é melhor que o morto?
Na escala de quem?
Você se faz melhor que outro,
só por rezar e dizer amém?
Amém uns aos outros,
malditos infelizes.
Não adianta fazer tatuagem,
nas suas cicatrizes.
Vocês a mataram,
Ela morreu sem saber.
Que com a força que ela tinha,
não dependia de vocês.
Morram nos seus casamentos,
morram nas suas rotinas,
Mas não se achem mais vivos,
Que aquela formalizada morta menina!

Rei

Acaba com tudo,
acaba com isso,
Ó poderoso, rei dos reis.
Acaba com o mundo,
Ou muda tudo,
Ó poderoso, eu sou, eu sei.
Será que está assistindo,
Qual prazer isso lhe dá...
Será que mora em todo mundo,
Qual a maldade escolheu inventar.
Se fosse eu criador
Não teria criaturas sem amor.
Mas dão o nome de liberdade,
E ficam expostas as verdades.
Olho para o céu, ou para o mar.
A perfeição é tanta...
Mas está difícil caminhar.
Dói a garganta, arranha.
Se eu soubesse que é bom o lado de lá,
Eu iria agora mesmo.
Mas será a fé apenas um desespero
da vida adulta na infância.
Acaba com a dor, ou me ensina
Como ser daquelas pessoas que sabem sorrir.
Se existe uma luz de verdade aí em cima,
Ilumina o mundo e caia sobre mim.
Será a vida somente isso,
Luta e respira tão pouco.
Ainda bem que o amor é ilusão,
Pois só ilusões dão sentido a esse mundo tolo.