terça-feira, 23 de julho de 2013

Cores



Queria escrever sobre cores
E como o céu pode ser azul.
Queria agradecer ao Universo
Todas aquelas coisas de amor.
Mas na verdade é outra história,
Fui me atropelando.
Empurrando um sentimento.
Segui te amando.
E isso não é colorido.
Isso não é bonito.
Não é nada.
Isso.
É só isso.
É só eu.
Amando você.
Isso nem é,
Eu e você.
Posso ter magoado pessoas,
sofrido alguns riscos,
no meio deste caminho.
Mas já paguei.
Paguei caro, com sangue, com sonhos.
Posso cometer crimes, vários pecados.
Já fui punida aquele dia,
Só de ter te encontrado.
Crime, culpa, culpado.
Ainda bem que a arma foi o amor,
Pois ninguém se culpa de ter atirado.
Irônica vida essa nossa.
Mas morro de te ver passar,
Isso não é nada.
Morra também de amor por alguém,
Morra de culpa por eu te amar!
Cores cinzas, vários tons.
Vermelho só do batom.
Não tem céu azul, nessa negra solidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Presença

Não sabia a diferença entre a presença e o nunca estar. Eu não soube desde sempre, Eu nunca estava lá. Só algo que já passou, Ou semp...