Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2013

Recomeçar

Recomeçar...
Depois de tudo o que você já fez,
depois de todos os lados
depois de todos os sonhos
depois de todos os naufrágios
Recomeçar...
Depois de ter tantas certezas
depois de se perder em amizades
depois da força das fraquezas
depois de tanto amor em vaidade
Recomeçar...
Depois de perder tantos jogos
depois de amar intensamente
depois de conhecer outros corpos
depois de tanta gente que mente
Recomeçar...
Depois da historia naquelas fotos
Depois dos planos que acabaram
depois de amar ser mais que fatos
depois dos amores que se mudaram
Recomeçar...
Depois de tanto chorar na cama
depois de tanto pedir ajuda
depois de tantas influencias
depois de amar que não te ama
Recomeçar...
depois do desabrochar do amor
depois da expectativa das primeiras vezes
depois do susto da primeira dor
depois tantas palavras e repentes
Recomeçar...
e já não ter todo o tempo do mundo
e já não ser mais tão inocente
e já não dar amor profundo
e já saber que do amor não depende
Recomeçar...
E já não viver d…

RESPOSTA

Deus,
Porque eu sofro agora?
Porque eu não consigo?
Porque tudo comigo?
Deus,
Porque o sofrimento?
Porque as ameaças?
Porque constrangimento?
Deus,
Porque eu caio sempre?
Porque o caminho estreito?
Porque as dores na mente?
Filho...
Confia e pronto.
Quem confia não questiona.
A fé e a resposta.
A vida é a sua sede,
a fé a sua água.
A duvida é o que mais dói,
a fé é sua resposta.
Sofre mais pelo medo,
que pelo fato que te acontece;
Sofre mais pelos outros,
que pela dor que te fortalece.
Sofre mais com as perguntas,
e não escuta as respostas.
Olha dentro do teu peito.
Tenha fé, caminhe agora.
Feliz é aquele que crê
que a felicidade
mora no que sente,
o resto é vaidade.

Perdida

Eu estava perdida
tentando apenas encontrar
um jeito certo de viver
um jeito certo de sonhar
E parecia que eu estava
perdida no meio do nada
que todas aquelas pessoas
iam e vinham nas calçadas
O tempo nada me revelou
apenas me trouxe verdades
na solidão dos que sofrem
a revelação da doce maldade
Eu nunca sabia para aonde ir
Eu sempre me perdia nas estradas
Eu sempre acabava perdida nos meus sonhos
eu sempre era no meu tudo, um grande nada.
O vento sempre vinha contra
os planos eram sempre outros planos
as pessoas sempre amavam outras
a princesa quis ficar no calabouço
Eu nunca acertava nada
O sopro, o vento, a luz
Eu nunca sabia o que daria certo
tentativas pesadas em forma de cruz
Eu nunca soube quando estava andando em círculos
ou quando só me restava andar para frente
eu nunca tive fôlego o suficiente
para alcançar os que estavam sempre a frente.
E o que eu de fato não sabia
é que eu estava no rumo certo
na bagunça da vida e do destino
existe sempre algo bom por perto
Entre os nós…