Pular para o conteúdo principal

Ainda que....



Ainda assim....
Eu vou.
Ainda que o mundo me faça sofrer...
Ainda que as pessoas,
com suas permutas, querendo vantagem,
Tentem me desmotivar.
Ainda que elas consigam, baseando a minha vida num fato,
e me fazendo esquecer quem de fato, sou.
Ainda que eu tenha construído muros, no lugar de pontes;
Ainda que eu tenha me sentido mais humilhada do que possa ter sido fato;
Ainda que, por vezes, exagere.
Ainda que eu não veja sentido, na luta diária por um sonho,
e quando chego lá, não é azul a cor do céu.
Ainda que eu tenha que aprender muito, acabo esquecendo como  devo escrever
o meu nome na simples letra de forma. 
Ainda que palavras sejam levadas com o vento;
Ainda que sonhos sejam tolos quando a gente cresce;
Ainda que falte ar nos pulmões, para o tanto que devo correr.
Ainda que seja jovem, tão jovem que me sinta experiente demais;
Ainda que eu duvide das pessoas,
algumas por vezes subestimadas, me surpreenderam.
Ainda que eu sempre crie um porém, um talvez, um 'e se...'
Ainda que eu sempre ache que todo mundo é mais feliz;
Ainda que cresça, fazendo as dificuldades de degrau;
Ainda que eu reconheça quando vem disfarçado de bem , mas é o mal.
Ainda que eu respire, como se tivesse saído da placenta,
Ao menos um fôlego sem tanta dor, sem tanta mágoa, sem tanta lágrima.
Ainda que eu divida com poucos amigos uma parte da minha dor;
Ainda que eu relate todos os fatos a meu favor...
Ainda que eu seja eterna aprendiz...
Ainda que tudo aconteça, sem você, não serei feliz.

Comentários

  1. eh tão bonito que chega a ser triste...
    Mas é uma obre de arte, parabens, sucesso e bj

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A morte da menina

Morreu ela.
Coitadinha.
A menina,
menininha.
E agora,
Quem enterra?
Quais as culpas,
morrem com ela?
Você que vive,
Me diga por favor,
Como é viver
Sem ser digno?
Morreu você,
Morreram todos.
Andam sem saber,
Que todos somos.
Somos culpados
e inocentes,
Sangue derramado,
Vida inconsequente.
Você é melhor que o morto?
Na escala de quem?
Você se faz melhor que outro,
só por rezar e dizer amém?
Amém uns aos outros,
malditos infelizes.
Não adianta fazer tatuagem,
nas suas cicatrizes.
Vocês a mataram,
Ela morreu sem saber.
Que com a força que ela tinha,
não dependia de vocês.
Morram nos seus casamentos,
morram nas suas rotinas,
Mas não se achem mais vivos,
Que aquela formalizada morta menina!

Rei

Acaba com tudo,
acaba com isso,
Ó poderoso, rei dos reis.
Acaba com o mundo,
Ou muda tudo,
Ó poderoso, eu sou, eu sei.
Será que está assistindo,
Qual prazer isso lhe dá...
Será que mora em todo mundo,
Qual a maldade escolheu inventar.
Se fosse eu criador
Não teria criaturas sem amor.
Mas dão o nome de liberdade,
E ficam expostas as verdades.
Olho para o céu, ou para o mar.
A perfeição é tanta...
Mas está difícil caminhar.
Dói a garganta, arranha.
Se eu soubesse que é bom o lado de lá,
Eu iria agora mesmo.
Mas será a fé apenas um desespero
da vida adulta na infância.
Acaba com a dor, ou me ensina
Como ser daquelas pessoas que sabem sorrir.
Se existe uma luz de verdade aí em cima,
Ilumina o mundo e caia sobre mim.
Será a vida somente isso,
Luta e respira tão pouco.
Ainda bem que o amor é ilusão,
Pois só ilusões dão sentido a esse mundo tolo.