quinta-feira, 21 de março de 2013

Empurrão


Me empurraram aos pouquinhos
Cada um com seu sorriso,
Cada um com seu conselho,
Todo mundo bonitinho!
Me empurraram devagar
Para eu não perceber,
Que era voluntária
De uma forma de morrer!
Me empurram para longe
dos meus sonhos e dos meus objetivos,
Criticaram tudo que era meu
Porque quem quer nos enfraquecer,
Só sabe fazer isso!
Me empurraram e  eu nem sei
Talvez eu mesma tenha ido.
Opiniões eu escutei
E acreditei em destino!
Me empurraram e foram embora
Lavaram as suas mãos,
Os olhos que me olham agora,
Observam apenas a minha reação.
Me empurraram eu eu fiquei lá,
Sozinha e já sem sonhos.
Empurraram minha fraqueza,
e jogaram terra nos meus planos.
Mas uma coisa eles não sabiam.
Eu aprendi a reagir,
A força que eu lhes dei,
Agora está de novo em mim.
Eu demorei para sair,
O abismo parecia não acabar,
Mas agora estou mais forte,
nem ouse assoprar!

Saiam Todos!


Como vou saber
Se quem errou fui eu?
Se parece tudo errado,
E tudo se perdeu.
E se estavam todos certos
Na verdade que defendiam,
Eu era uma criança
Na verdade dos que mentiram.
E seu eu não entendia
Que o caminho era meu,
E se o que sentia
Não valia e nunca valeu?
E se eu aprendi
A errar em nome dos outros,
E se eu fiquei aqui
defendendo os desprezados e loucos?
Como vou saber
Se o que eu vejo agora é real?
Sendo que parece
Que eu estava estava em estado fatal.
Eu dormi por anos
num coma consciente,
As palavras e os fatos
não saíam de minha mente.
E agora eu acordei
E levanto dessa cama,
Não tenho nada, nada meu
Qualquer um pensa que me engana.
Mas eu sei de uma coisa
Essa tempestade passa,
Porque eu vou correr atrás
Da minha felicidade exata.
Só eu sei de mim
Como eu caí e quanto eu chorei,
sai da minha mente
Se viver é isso, eu também errei.
mas agora vou viver
Os lados me confundem,
Não podem ser todos felizes
Se a vida é que nos une...
Eu não sei o que fazer
Mas não quero o que vivi,
Viver dormindo e ver amanhecer
Saiam todos, eu sei de mim!

Presença

Não sabia a diferença entre a presença e o nunca estar. Eu não soube desde sempre, Eu nunca estava lá. Só algo que já passou, Ou semp...