quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Deixe-o saber



Quando você tiver um  filho, deixo-o saber...

Que os adultos não possuem todas as respostas.Então que ele nunca deixe de fazer nada por ter duvidas,elas irão acompanhá-lo a vida inteira.
Que a segurança é uma inconstância e que a certeza do momento deve ser sustentada,
pois muitas vezes essa certeza precisará ser reafirmada.
Que o amor da vida dele pode estar na vida de outra pessoa.
E que apesar de toda a dor que o amor causa, ainda é possível seguir a vida prometendo a si mesmo respeitar o próprio sentimento, mas nunca se deixar paralisar por ele.
Que esperar o momento certo para agir pode fazê-lo perder muitos momentos importantes, muitas vezes ele terá de agir sem saber o que está fazendo, apenas com a certeza de que não poderá não fazer nada.
Que é preciso  estudar, batalhar dia a dia pelo sustento, e que deverá ter orgulho do próprio trabalho,e deverá abrir a mente para aprender sempre.Mas que a vida exige um equilíbrio entre comprar coisas e ganhar pessoas.Momentos felizes não serão comprados em lojas.Poderá haver um momento mágico, e ele não estará lá.
Que dinheiro não compra felicidade, embora muitas das vezes pareça que sim. A  felicidade consiste em realizar sonhos, e esses sim,o fará se sentir imensamente feliz.
Que amigos se vão. Sim,os anos passam, as pessoas crescem, a vida vai ficando cada vez mais exigente. Aquela amizade que ele mais considerará, poderá nem saber como ele está dali a dez anos. E que talvez fiquem alguns amigos para a vida toda, mas não em todos os momentos.
Que as pessoas são más. Que elas  tem prazer em denegrir, rebaixar, roubar o brilho dos olhos muitas vezes. E que algumas dessas pessoas estará entre as que ele mais considerava.
Que os sonhos são pessoais e intransferíveis. Diga a ele que poderá sim, que terá o direito de ser o que ele quiser, de sonhar com a viagem, com o presente, com o abraço, com o mundo! Independente da situação atual, sonhar é a única forma de realizar as coisas.
Deixe-o saber que todas as pessoas merecem ser felizes. Que julgar não cabe a ninguém e que nenhum sofrimento é eterno.
Que as vezes ele vai perder o chão e ainda assim precisará caminhar. Que a vida não espera as coisas serem do nosso jeito. Nós é que temos de estar preparados para os imprevistos.
Que viver um dia de cada vez não é desesperador. É nisso que mora a esperança. Um dia você coloca um tijolo, e de repente o castelo estará lá.
Que  somos todos humanamente iguais, mas ele irá ouvir alguém falar que não, porque a cor da pele das pessoas são diferentes;mas deixe-o saber que isso é um absurdo, as pessoas são muito mais que isso.
Deixe-o saber que não deve desistir. Há sonhos que podem levar anos para tomar um forma real. Há pessoas, situações e lugares que podem enfraquecer sua força.Ele poderá chorar, recuar, mas desistir não é opção , desistir ele não pode. A persistência é a única ponte entre o que se é e o que se pode ser.
Deixe-o saber o quanto você o ama. Esse amor vai sustentá-lo em tantos momentos durante a vida, e é pra esse amor que ele sempre voltará.
Deixe-o saber que você também não sabe tantas coisas. Não vai confirmar as teorias que ele vai ler na internet, e que certamente ele irá saber mexer em aparelhos tecnológicos melhor que você;e que uma porção de coisas vocês aprenderão juntos. Deixe-o saber que você não sabe tudo, e mesmo assim você não desistiu.Deixe-o saber que muitas vezes as pessoas não sabem o que falam, deixe-o saber que ele poderá ser muito mais que aquilo que dirão a ele. Deixe-o saber que nascemos e morremos sem saber de todas coisas... e por isso devemos valorizar quem nos ama, ajudar quem nos ajuda e ser feliz com todas as nossas conquistas.
Deixe-o saber que o coração é capaz de sentir uma calmaria no momento de aflição, e que essa é a paz de Deus.
Deixe-o saber que cada passagem neste mundo é unica, e que nunca saberemos o suficiente para começar a começar...esperar um grande dia ou algo assim. A vida é feita no agora!
 Deixe-o saber que as emoções, boas ou não, engrandecem o ser humano, e que viver é bom, mas viver pra ser feliz..ah, isso não tem preço!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Pensamento

Pensaram que ela iria se jogar,
Mas o que caiu foi apenas uma flor.
Flores espalhadas exalando pelo ar.
Flores de morte ou de amor?
Pensaram que ela iria se render,
Mas ela queria apenas um pouco de paz.
Pensaram que ela iria se afogar,
Mas ela queria saber até onde mergulhar.
Pensaram que ela iria enlouquecer,
Mas ela só queria o direito de gritar!
Pensaram que ela não iria sobreviver,
Mas ela só cansou de esperar!
Pensaram que ela estava seguindo em frente,
Mas ela só não queria ser atropelada,
Pensaram que ela tinha um plano em mente,
Mas ela sabia que nunca soube de nada.
Pensaram que ela estava abandonada,
Mas ela estava apenas se resgatando,
Pensaram que a história estava terminada,
Mas era o jeito que ela dizia estar recomeçando.
Pensaram que cairia um corpo inerte,
Mas o que caiu foi a sua alma.
Pensaram que ela dominava o amor,
Mas ela só sabia que precisava de calma.
Pensaram tantas coisas, que ela nem ligou.
Pensamentos dos outros, não devem ser regras para viver.
E dessa vez foi ela quem pensou.

Enterro


Eu vou te amar enquanto eu morrer.
Eu vou chorar enquanto eu morrer.
Eu vou te respirar enquanto eu morrer,
Eu vou sumir pra te transparecer.
Eu vou te viver enquanto eu morrer.
Eu vou te querer enquanto eu morrer.
Eu vou sobreviver enquanto eu morrer.
Eu vou morrendo enquanto eu viver.
Eu vou te sonhando enquanto eu morrer.
Eu vou te gritando enquanto eu sufoco.
Eu vou te procurando enquanto eu me perco.
Eu vou te perdendo enquanto eu não me vi ganhando.
Eu vou te amar enquanto eu morrer.
Eu nunca soube mais o que é viver.
Eu vou te amar só enquanto eu existir.
Eu aceito a morte iminente desse eu que morre sempre.
Eu aceito o fim desse amor que nunca me amou.
Vai vivendo, vou morrendo, não tem sol, só luar.
Meus passos, num velório,
Eu sorrindo de mim mesma.
Meus passos na vida real,
Não tem muita firmeza.
Eu vou te amar só enquanto eu estiver aqui na terra.
A eternidade não me disse, se te amar é o que me resta.
Só enquanto eu morrer, eu vou te amar.
Só disso saber, passo  me odiar.
Cadê a minha força? Porque me faz tão fraca?
Perder eu perdi, e nunca ganhei nada.
Amanhece e você vive,
Mais um dia para eu morrer.
Amor porque é livre, se me prende para nunca nascer?
Só enquanto eu morrer, não pense em mim.
Devo padecer nesse amor que não sai de mim.
Jogue a terra na minha face,
e me faça um pouco feliz.
Já que a dor de amar-te, faz um enterro do meu existir.

domingo, 21 de dezembro de 2014

Sonhos

 
Sonhos.
Não são seus,
até serem reais.
Sonham os ateus,
verem os milagres.
Sonham as moças,
Sonham as crianças,
Sonham as meninas,
Sonhas as danças,
Sonham os passos,
Sonham os papéis,
Sonham as amantes,
Em terem amores fiéis.
 Sonham os infelizes,
Sonham os esquecidos,
Sonham os reis e rainhas,
Sonham os mendigos.
Sonha a bailarina,
Sonha a dançarina,
Sonha a abandonada,
Sonha a mal amada.
Sonha qualquer um,
Que pense que não pode sonhar,
Sonha quem morreu por dentro,
sonha em renascer,
Sonhos reais na vida,
De quem não quer viver.
Sonha o mundo com melhorias,
Sonha em sorrir para sempre,
Sonhe com um dia de paz por vez,
e verá o poder de sonhar eternamente.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Felicidade


Faca no peito,
Falta de ar.
Pisar na incerteza
Não ter asa pra voar.
A vida é assim,
Independente de como é,
Não seja ingrato,
Por não se ter o que se quer.
Feliz todos somos,
Até o dia em que não somos mais,
E  descobre que o melhor,
Você deixou pra trás.
Feliz apenas por respirar,
Um novo dia vai surgir,
Feliz pelas possibilidades,
E só por tê-las já se realizar.
Falta de atitude,
Excesso de sonhar,
Falta de realismo,
Falta da falta de ar.
Faca no peito,
Tiro no pé,
Querer sem sacrifício,
É aceitar o que vier.
Viver e amar ainda que nada dê certo,
Pois o dia seguinte é felicidade mais perto.
Sou feliz e serei mais ainda,
Pois viver é arriscar, é perder e ganhar!
E se hoje eu aprendo com meu joelho ralado,
A cicatriz será a professora desse meu aprendizado.
Valorize que você é,
Viva o que você tem,
Felicidade é alma lavada,
É querer quem te quer bem.
Todo o resto é pura bobagem,
Toda ilusão é um pouco egoísta.
Feliz apesar das dores,
Felicidade é uma escolha de vida!


domingo, 14 de dezembro de 2014

Crescer


Ela nunca soube,
Nunca saberá,
Que o amor não é um erro,
o errado é não saber amar.
Ela era cega
embora tivesse a visão,
Ela enxergava o mundo,
com a cegueira do seu coração.
Ela era doce,
E não conhecia a amargura,
Não sabia que a decepção
Era a expectativa pura.
Ela nunca soube,
Que podia tantas coisas,
Que podia ser grande,
Que teria coisas boas.
Ela sempre achava
Que nada merecia,
Que nada teria,
Que a vida era vazia.
Ela foi vivendo,
Mesmo sem ter um sentido,
Mesmo que sofresse,
Mesmo sem saber para onde estava indo.
Ela sempre esperou
Que chegasse o grande dia,
Poderia amar, ser amada, ter amigos e alegria.
Ela não sabia,
Que era tudo fantasia,
Que as pessoas assim como ela,
Também de nada sabiam.
Ela nunca soube,
Nem nunca saberá,
Que para amar o próximo,
É preciso saber se amar.
Um dia ela acordou, e passou a enxergar,
Aí sentiu o peso das escolhas e se pôs a chorar.
Ela ainda sabe,
Que precisa correr,
De todas as escolhas,
A mais importante é crescer!


sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Não Quero



Eu não quero falar ,
Eu não quero falar sobre...
Eu não quero falar com...
Eu não quero falar nada.
Eu não quero me explicar,
Eu não quero impedir,
Eu não quero ficar,
Eu não quero ir.
Eu não quero me sujeitar,
Eu não quero te sugerir,
Eu não quero me implorar,
Não quero ter que pedir.
Não quero amor,
Nem paz, nem guerra.
Não quero nada que possa levar,
Não quero nada que possa ostentar,
Não quero nada que gere perguntas,
Não quero respostas vazias.
Quero leveza na alma,
sem nó na garganta,
Quero fluidez no agora,
Quero um coração de criança.
Eu não quero muros,
Não quero lutas,
Não quero falsas vitórias,
Quero amor puro.
Quero joelhos no chão,
e braços abertos,
Sentindo a alma se comunicar,
Com o que dessa vida é certo.
Quero, quando eu for,
Que se lembrem do meu amor,
Que se lembrem da amizade e da força da vontade.
Espero não ter sido guiada pela ganância, arrogância ou coisa assim.
Quero o ar no pulmão, pessoas no coração e ter fé pra ser feliz.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Morte


Morreu o amor.
Morreu o sonho.
Morreu até a dor,
De não contar mais um conto.
Morreu a verdade,
Morreu a mentira,
Morreu a ignorância,
Morreu a falsa sabedoria.
Morreu a criança,
Com bolhas nos pés,
Morreu bailarina,
Morreu a mulher.
Morreu a cor do céu,
Só se via cinza...
Morreu o futuro,
Porque ficou naquele dia.
Morreu o caminho,
e agora como seguir?
Morreu a fada madrinha,
O castelo de areia e a princesa teve que partir.
Morreu a areia,
O mar, a lama...
Morreu a teia,
A presa e a aranha.
Morreram os sonhos tão infanto-juvenis!
Morreu a estrada,
Nesse labirinto, como vou sair?
Morreu a saudade,
Até a tristeza teve que morrer!
Morreu tudo o que fez parte,
A lágrima, a dádiva, o querer.
Morreu tanto amor,
Mas carrego esse feto ainda em mim.
Carrego o velório, o enterro,
Até a morte não tem fim.
Morreu a saudade, a necessidade, o futuro.
Morreram as inciais, morreu minha paz,
Morreu minha cor.
Mato-me aqui, mas não deixo de seguir,
Ainda há a minha carne!
Morreu a menina, a mulher, o sonho, a festa, o céu, a lua, o castelo, a flor, o bolo, a risada, a surpresa, a saudade, a reconciliação, a dor. Morreu tudo em mim, porque em ti morreu o amor!

domingo, 9 de novembro de 2014

Indefinidos



Não sou tua,
Nada espero de você.
Não te domino,
Nem domino seu querer.
Nada me surpreende,
Nessa sua falta de amor,
Nada em você me prende,
Nessa instabilidade sem dor.
Não dói, não seca,
Não cede, Nem nada.
É um vazio cheio de nada,
É um sentimento que precisa ser guardado,
É um sentimento que faz tudo ser pecado,
É um amor que não nasceu para ser amado.
Não sou eu...
É você quem distancia,
É você quem restringe,
Vivemos essa fantasia.
Esse amor gélido,
Esse amor escuro,
Esse amor que não existe,
E não pode ser maduro.
É você que não me tem,
É você que se isenta,
É você que age como se fosse nada,
Esse amor que sufoca.
E nessa linha desfiada,
Arrebenta o destino,
A gente se desata,
Querendo estar perto.
É você que não faz questão,
Eu fingo que não ligo,
Esse amor vai morrendo,
Em mim procurando abrigo.
Não somos dois,
Mas sempre seremos um,
Pagaremos por nosso orgulho,
Não somos o que sempre seremos.
Amantes, sem definição.

Minha Luz


Apagaram minha luz,
Qual é o caminho da escuridão?
Pisaram em meu jardim,
Arrancaram as flores do meu coração.
Tantos sons, tantas imagens,
Tantos palpites e eu perdida.
Tantas cores que eu tinha,
Tanta vida a ser vivida.
Eu tinha alguns conceitos,
E transformações,
Tiraram meu direito,
Limitaram minhas ações.
Eu só estava vivendo,
Eu estava tão só.
Eu só estava querendo,
E acabei fazendo um nó.
Não podia querer tanto,
Não podia viver minha emoção,
Tinha que ser tudo perfeito,
Arrancaram meu coração!
Eu segui no caminho escuro,
E afastaram os amigos,
Levaram tanto de mim,
E nada de mim ficou comigo.
Eu tive que reascender,
Eu tive que ressurgir,
Eu tive que reviver,
E buscar o sol em mim.
As vezes eu ainda caio,
As vezes eu ainda lembro,
Mas tudo o que eu passei,
Me fará mais forte com o tempo.

sábado, 18 de outubro de 2014

Seu Retrato



Hoje eu pensei sobre

O que foi e o que será,
Hoje eu pensei em nós,
Nós somos o nosso nó.
Hoje eu desci as escadas,
E encarei minha realidade,
Eu quero você e mais nada,
E você não me quer de verdade.
Hoje eu respirei outro ar,
Você não é mais meu oxigênio,
Hoje eu pensei sobre amar,
E amar não é viver te querendo.
Hoje eu fui lá para frente,
Vi luz e flores no meu futuro,
Hoje eu pensei sobre a gente,
Pensei no passado e estava escuro.
Pela primeira vez eu vi que há vida,
Pela primeira vez me vi com esperança,
Depois de tantos desafios,
Deixei de ser aquela criança.
Hoje eu olhei o seu rosto,
E não vi tanto brilho em seus olhos,
Hoje eu recobrei meus sentidos,
Tirei de você o amor que anda comigo.
Hoje eu tirei a vaidade, aquele ciúme, aquela cobiça.
Hoje eu me vi de verdade,
Amor próprio, perfume, mulher mais vivida.
Hoje eu amei os meus olhos,
Minha pele, meu ser, eu sou alguém,
Hoje eu rasguei seu retrato,
Amar a mim mesmo, é amar também!

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Sapatos


Deixei os sapatos na entrada,
Preferi pisar no chão,
Sentir os pés gelados,
Sem cadeados no portão.
Deixei a porta aberta,
E o sol entrou...
Deixei a boca aberta,
E o tempo passou.
Me despi de alguns medos,
Já não eram o meu número,
Me desfiz de alguns conceitos,
Já não me cabia mais lembrança.
Deixei o casaco pendurado,
e tudo o que mais me pesava,
Deixei as coisas fúteis,
E tudo o que nada significava.
Se quiser entrar não bata na porta,
apenas tire seus sapatos,
Não vista o que não é seu,
E seja fruto dos seus atos.
O vento não veio em minha direção,
Mas agora me refresca,
Não quero mentiras,
Seja a verdade que me interessa.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Bem me Quer!


Bem me quer, Mal me quer...
Bem te quis, bem te vi.
Bem querer, Mal amado.
Bem Amado, Bem pra quê?
Bem ou Mal eu vou querendo...
Mas bem querer é querer o quê?
Bem se viu, que tinha achado,
Que sabia o bem que eu tinha.
Bem te quer, Mal te quer....
Bem que você falou,
Que nem sempre ouvir que sim,
Significa que o bem te amou.
Bem te quero, e mal te quero!
Pois o meu bem você dispensou,
Bem do lado, Bem sabida
Foi a atitude que tomou!
Bem te vi, Mal te via...
Eu te olhava noite e dia.
Bem eu sabia, que mal sabia...
Que o bem querer nada queria.
Mal me quer, e mal te quero...
Deixa o bem para depois.
Mal amei e já sofri!
Bem te vi, e mal me amei!

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Dúvidas


Não são as dúvidas que me matam,
são as certezas que carrego.
Certeza do que não vai ser,
Certeza do que não vai ficar.
As dúvidas se vão com o tempo,
Mas e as certezas,o que fazer?
A maior certeza que tenho,
É a de que não sei viver.
Certezas eu tive tantas,
Ao tomar minhas decisões,
Eu sabia o que seria o futuro,
Dançava as minhas canções.
Tinha certeza que daria certo,
Que as coisas teriam fluidez,
Mas as certezas as vezes nos cegam,
Fui errado mais uma vez.
E as dúvidas voltaram a mim,
O que seria de mim agora?
Se ao deixa-lo ir,
Perdi a certeza de nossa história.
Não são as dúvidas que me corroem,
São as certezas que eu tenho em mim,
Aprendi tanto e não sei mais nada,
Certa estou de te querer aqui.
Não são as certezas que ditam as regras,
Mas de dúvidas novas eu vou vivendo....
Afrouxo as certezas para respirar a alma,
Dúvidas escuras sempre me cercam.
Vi minhas certezas caírem em prantos,
Certezas sólidas virando escombros.
Agora não são mais nada,
São as dúvidas que agora me pesam os ombros.

sábado, 20 de setembro de 2014

O Castelo tinha um calabouço

 
Vai ter festa no castelo!
Preparem os melhores trajes!
Contratem os melhores músicos,
Chamem os melhores alfaiates!
Chamem os súditos e os serviçais,
Chamem as moças do reino,
Chamem as crianças que dançam,
Chamem todo a cidade!
Façam um grande banquete,
Decorem todo o castelo,
Comemorem dias inteiros,
Sorriem sorrisos sinceros!
Mas não cheguem ao calabouço,
Lá não há nada de bom...
Lá não há o que ser visto,
Ali só tem escuridão.
Andem por todo o saguão,
Chequem o sabor e a temperatura,
Tudo tem que estar perfeito,
E que comece a primeira dança!
Quem venham o rei e rainha,
Que venha a princesa sem seu príncipe,
Que se façam todas as ironias,
Que tudo seja uma grande festa.
Que todos comecem a ir embora,
Depois do cansaço tomar conta,
Que o rei tenha orgulho da princesa que ninguém tocou,
Que a rainha a veja sempre criança.
Que ninguém siga a princesa a todo instante,
e não vejam que ela chora...
O que ela foi fazer no calabouço?
Cessam- se as luzes, a musica, a festa.
A Princesa perfeita acabou com a festa!
E agora rei e rainha?
Terão que limpar tudo de novo?
Vejam só, ela foi para o calabouço,
Para não atrapalhar a festa de todos!
Mas porque ela não estava bem?
O anuncio demorou para ser feito,
Ela não soube que seria feliz, dali a apenas alguns minutos!
A festa era surpresa, seu príncipe  viria de outro reinado,
Não deu tempo de contar para a precipitada, que a festa era para ela!
O que será que ela pensou?
Achou que era apenas mais uma hipocrisia...
E o amor que tinha no peito, ditou as regras de sua fantasia.
O amor de sua vida, desde a infância, mas quem diria!
Chora ao lado do corpo inerte, a aliança que ele faria.
A festa virou funeral,
Não é assim que  mudam as coisas...
Porque não esperou princesa, a festa acabar? Machucou muitos corações...
E você, em qual fato baseia suas decisões?

Quase Morte


Já vivi muitas 'quase mortes',
Já matei centenas de quase vidas...
Já respirei embaixo de um mar,
Mas era apenas areia movediça.
Já vi luzes em um túnel,
Vultos brancos, eram anjos?
Não importa, eu sempre voltei,
Aqui abro os olhos outra vez.
Quantas vezes você voltou,
Desde a sua infância?
Quantas vezes a vida quase foi,
Mas havia um brilho em você criança.
Luto para viver,
Luto para não ficar morta e viva.
Você já pensou que teria sido melhor,
Se tudo isso tivesse acabado ali?
Quase vida, é trágico!
E as coisas que não deram certo?
E as pessoas que lutam pela sobrevivência?
Elas só querem ter o que você tem.
E você que tem a quase vida,
O que vai fazer com ela?
Quase morte, mais uma vez?
Morrer é o melhor que você fez?
Pessoas lutam apenas para poder pensar o que fazer depois,
Você luta apenas para não ter que fazer nada agora!
Será que não deu certo mesmo,
Ou eu que não li a minha própria história?
Já vivi tantas Quase Vidas...
Momentos de pensar que era felicidade.
O mesmo anjo que me guardou na infância,
Me diz que quase viver não condiz com a realidade.
Saiamos dessa linha tenue,
Morrer e viver nunca é opção sua!
Já vimos que se for pra ficar aqui,
Temos que lutar apenas por uma razão, seja o que for, a vida sempre continua!

sábado, 30 de agosto de 2014

Pesadelo

Um grito preso na alma,
Mãos agarrando a garganta.
Pés de bailarinas cheios de calo...
Um choro tão sincero que é de criança.
Um flash na memória,
Momentos desintegrados.
Uma briga, um silêncio.
Apenas um coração quebrado.
Lembrou do seu próprio sorriso?
Sentir saudades de quem?
Será que erraram comigo,
ou eu que me fiz ninguém?
Pés descalços que sangraram,
assim que tocaram a terra.
Cada toque,cheiro e cor,
não levou o que era dela.
Mas que sorriso tão inocente!
Quem disse que você podia?
Vista-se para o jantar!
e ela morre mais um dia.
Aperto no coração,
provocado por seus medos.
Medos de tantas coisas,
Quais realmente aconteceram?
Madrugada quanto mais fria,
Mais cortante tornam-se as lembranças.
Ela tenta retirar tantas mãos,sussurros,vultos...
Deseja poder chorar como criança.
Seja forte, tente não lembrar.
Cada cena, não precisa colorir.
Ou chore e grite até cansar.
Mas o seu passado, você precisa deixar ir!
Dia seguinte, enfim está claro.
Vai tentar esquecer durante o dia inteiro.
Sabe que ao se deitar e sonhar,
Viverá novamente seu pesadelo.
Pesadelo é a vida real?
Pesadelos são os sonhos que estão gritando?
Pesadelo é a criança que você escondeu?
A noite apenas é a mais verdadeira.


sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Mais Forte


Quem vai dizer que não?
Quem tem esse poder?
Quem determinou,
o que foi e o que vai ser?
Quem vai fazer as contas?
Quem vai voltar atrás?
Quem disse que há tempo?
Eu queria um pouco mais.
Quem sonha por mim,
Se para mim nada chegou?
Quem sonha comigo,
Se ao meu lado nunca andou?
Quem vai falar que ama,
e olhar nos olhos brilhantes?
Eu nunca mais aceito carvão,
fantasiado de diamante.
Quem vai amarrar as minhas mãos,
e dizer que não é possível?
Quem vai impôr barreiras?
Se meu mundo é indivisível.
Quem agora vai falar o que já ouvi?
Quem vai me indicar a direção?
Você não entra mais aqui.
Peguei de volta meu coração.
Não sou mais o que determinam,
Sei exatamente quem sou.
Eu tinha muito o que aprender,
Você não sabe, mas me ensinou.
Aprendi a ficar mais forte,
Não tinha como agir sem viver,
A história só se repete,
Se a atitude não nascer.




segunda-feira, 28 de julho de 2014

Falam

 
Falam de flores,
falam de cores,
Falam de cheiros,
Falam de espelhos.
Falam de sonhos,
Mas não te fortalecem,
Falam de força,
Mas te enfraquecem.
Falam de amizade,
Mas não com pessoas,
Falam de sinceridade,
Mas a verdade não é sempre boa.
Falam de amor,
Mas não falam do abandono,
Falam das viagens,
Mas não falam da rotina.
Falam da sua luz,
Mas vivem te apagando,
Falam que você pode tudo,
Mas vivem te mudando.
Falam do vazio,
Mas nem tudo é solidão.
Falam de tudo,
E continuam chorando o mesmo não.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Quantos?

Quanto tempo a gente leva para crescer?
Quantos anos duram o processo?
O que chamam de amadurecer?
Quando é retroagir e quando é progresso?
Quantos sonhos cabem numa noite?
Quantas loucuras te dão o sangue na veia?
Quantas crianças inventaram as regras?
Quantas  as que sabem que é brincadeira?
Quantos colchões guardam lágrimas antigas?
Quantas mulheres ainda são meninas?
Quantas pessoas possuem o dom de ser?
Quantas pessoas se orgulhar pelo ter?
Quantas dores cabem numa história?
Quanta perfeição cabe na maquiagem?
Quantos amores foram inventados?
Quantos que amam e apenas são usados?
Quantas tranças no cabelo viram cordas?
Quantas princesas possuem pulsos cortados?
Quantos sonhos não são nada no mundo globalizado?
Quantas sextas feiras fazem um grupo de amigos?
Quantas besteiras fala quem não interessa?
Quantas pessoas julgam sem conhecer?
Quantos saltos são feitos de falso poder?
Quantos perfeitos são apenas seres humanos?
Quantas lágrimas correm para dizer um te amo?
Quantas pessoas são capazes de se realizar?
Quantas respostas são possíveis de se quantificar?

Se você pudesse


Se você pudesse respirar , respiraria agora?
Se você pudesse mergulhar,
Entraria em outra história?
Se você pudesse se apaixonar,
acharia uma droga?
Se você pudesse imaginar,
Pensaria outra história?
Se você pudesse reinventar,
mudaria alguma coisa?
Se você pudesse dar a chance,
julgaria pela face?
Se você pudesse voltar atras,
deixaria tudo em paz?
Se você pudesse mudar o mundo,
sairia da sua cama?
Se você pudesse fazer as pessoas ver a verdade,
diria quem não o ama?
Se você pudesse mandar alguém,
enviaria seu único filho?
Se você pudesse pintar a parede,
iria gostar mais do bolor?
Se você pudesse nadar mil mares,
preferiria a terra firme?
Se você pudesse realizar seus sonhos,
Mudaria a vitrine?
Se você pudesse cair de cabeça,
Se orgulharia das cicatrizes?

Para Sempre


E se fossem flores no lugar de espinhos?
E se fossem cores no lugar do cinza?
E se fossem amores no lugar de ilusões?
E se fosse de verdade, a verdade e as razões?
E se tivesse sido azul, sem nuvem e trovão?
E se tivesse sido feliz o pulsar do coração?
E se houvesse estrelas a noite
e nenhum monstro embaixo da cama?
E se tivesse caído um anjo só para proteger quem ama?
E se eu tivesse sido a mesma do inicio?
E se matar quem você odeia não for um suicídio?
E se você questiona quem fez algo por você?
E se não era ajuda, era para enganar você?
E se eu tivesse visto o caminho mais além?
E se eu não tivesse sido do meu sonho, um refém?
E se eu soubesse que era minha vida?
Que eu tinha direitos de  não abortar os meus sonhos?
Porque ninguém acendeu a luz do meu quarto quando eu gritei?
Porque ninguém me explicou que as coisas não voltam?
Porque a vida não esperou as compreensões sendo amena?
E se no lugar de ajuda eu tivesse cuspido ódio?
E se no lugar de lembranças eu tivesse visto o óbvio?
E se fosse tudo realmente diferente?
Questionaria o outro lado?
e se os 'e se...' forem para sempre?

domingo, 6 de julho de 2014

Maldição


Era tudo para um único ser...
Era a unica coisa que importava,
um dia chegaria a alegria,
e a felicidade que eu esperava.
Era óbvio que foi confuso,
a opinião nem minha era.
Era viver pulando entre muros,
um dia de ódio,
mil dias te amava.
Era saber que você podia mudar,
e eu podia te encontrar de novo nesta vida,
apenas por saber que você respirava,
a vida em mim sempre renovava.
Era saber que teria de sair da fantasia,
Mas a realidade o que me guardava?
Quantos arrependimentos cabem em mim?
Quantas despedidas de quantas sacadas?
Eu era tão daquele jeito,
O tempo passou e eu nem vi.
Chorei, gritei, falei...mas o meu grito ficou aqui.
Parece que eu tenho que me conformar,
Que viver é morrer cada instante.
Feliz eu não serei mais,
perdi a oportunidade de ser como antes.
Viver fora de mim, porque a alma já morreu.
Podia falecer o amor, para saber quem viveu...
Você respira e constrói coisas,
Eu tropeço nos mesmos sonhos.
Uma vida perdida por um amor,
amor é maldição e eu te amaldiçoo.

sábado, 28 de junho de 2014

Saber Amar


Não adianta fugir
Não adianta chorar,
Você não está mais aqui,
Nada está no lugar.
Não adianta querer,
Que tudo se resolva,
O tempo só sabe correr,
e viva ou esqueça;
Eu matei os meus sonhos,
Eles morreram nos meus pés,
Eu pisei nos ombros,
Eu fui malvada e fui mulher.
A sensação de desacreditar,
é muito forte em mim,
Não é comigo que está acontecendo,
É muita coisa, enfim.
Não acredito que te amo,
Porque o amor é uma tolice,
A realidade é muito dura,
Amar é ter deslizes.
Eu fugi dos meus sonhos,
dormindo como quem não tem culpa.
Eu fingi que estava tudo bem,
Mas tudo foi uma luta.
Voltar para mim mesma,
entrar de novo no meu corpo,
reencarnar a minha verdade,
me levaria ao topo.
Ser minha a alma firme,
Ser dona de minhas opiniões,
Ser a dona do meu destino,
Sem esperar cantar as canções.
Voltar para si mesmo,
Na verdade é uma guerra.
Sonhar os seus próprios sonhos,
Pode fazer você engolir muita terra.
Empurre os que atrasam,
Estou tentando me retomar,
Viver é mais importante,
Amar a si é saber amar.

domingo, 25 de maio de 2014

Maldição


Muito tinha escutado falar sobre maldição,
Sobre crenças que podem ser limitadoras,
Sobre história pré escrita,
Sobre destino e nova vida.
Acontece que eu nunca achei,
Que a vida fosse um roteiro,
Que seria daquele jeito,
Seria a mesma história o tempo inteiro.
Um dia conheci o amor,
Sei lá se é esse nome...
Foi algo que nunca me deixou,
Que me domina até hoje.
Foi embora tudo que eu acreditava,
Todas as crenças sem fim.
Me perdi em sonhos dourados,
Não era mais dona de mim.
Nadei num mar de rosas,
Espinhos vieram depois,
Não tinha direito a nada,
Apenas pensar como dói.
Quando ainda hoje,
Eu luto contra essa dor,
Um pensamento me pega num minuto,
E eu vivo sem cor.
Irônica essa vida minha,
Me ensinou a não ter medo da maldição,
Pois não tem maldição maior,
Que um amor que ficou num só coração.

domingo, 18 de maio de 2014

Nova Versão


Preciso tirar a pele,
Preciso trocar de roupa,
Preciso arrancar as marcas,
Preciso ficar mais solta.
Preciso arrancar as opiniões,
e os julgamentos alheios.
Preciso remover velhas paixões,
E tantas coisas que componho.
Preciso remover a tatuagem,
Preciso remover a sua imagem,
Preciso te devolver,
As lembranças que carrego.
Preciso desfazer as malas,
Desfazer os laços e mandar pela janela,
todos os mal entendidos.
Preciso lavar a alma,
Esfriar a mente,
Seguir em frente.
Preciso tirar você, remover as pedras,
Tomar meu café quente.
Preciso não atender o telefone,
Não deixar ninguém subir,
Quebrar meu interfone.
Preciso destatuar você,
Remover você, deixar você.
Preciso renascer, reviver,
Quem sou eu sem você?
Preciso me responder, corresponder,
virar a mesa.
Preciso te desvestir, deixar partir,
Ser uma nova versão de mim mesma.
Preciso ter aversão a ser deixada no esquecimento,
Preciso de mais realidade, mais amor tangível, menos sentimento.

Tarja Preta


Estava eu sendo eu mesma?
Estava eu sendo outra?
Tentei ser perfeita,
Mas onde moram as princesas?
Tinha eu que descer das nuvens,
Mas qual seria o tamanho do tombo?
Eu achei que o tempo ajudaria
Mas o tempo não ajuda o tempo todo.
Me perdi em meio as dores da vida,
Me perdi em meio ao medo da morte,
Me perdi sendo tantas,
Me perdi nas feridas do corte.
Estava eu sendo feliz?
Ou uma caricatura de mim mesma?
Procurava o que não sabia,
Nem sabia do que precisava.
Estava eu de frente ao espelho,
E não me reconhecia mais,
Não podia ser a mesma o tempo todo,
Mas em que lugar ficou a minha paz?
Revolta é remédio tardio,
a tarja preta do ódio,
Qual o tamanho do vazio,
Que se enche de óbvio.
Não deu certo uma vez,
Não deu certo cinco, dez e cem.
Eu nem posso respirar,
Acabaram as pausas pra chorar.
Sou eu agora quem sempre fui?
Ou a vida que me transformou?
Será que naquele tempo me perdi?
Ou tinha medo de aparecer?
Estava eu me omitindo,
Ou realmente tinha que me conhecer?
As respostas eu não tenho,
As ordens e os fatores não conversam.
Eu não quero ser para você,
Nada que me torne um regresso.
Preciso de uma nova versão de mim.
Preciso me encontrar,
e se a mulher que me aguarda não estiver afim,
Será a sua vez de aguardar.


Mudar

Eu nem sei quantas vezes eu já tentei,
Eu não sei ao certo quantas vezes eu questionei,
Eu vi o tempo correr,
Eu o tempo todo sem você.
A verdade é que eu quero que tudo mude,
Mas eu quero que fique como está.
A verdade é que por causa da nossa história ,
Eu me tirei o direito de amar.
A verdade é que as mentiras ,
Tomam tempo demais
Eu nem sei em que ocasião
 deveria ter deixado tudo pra trás,
Mas eu sei exatamente quando me apaixonei.
Se me perguntar de algum detalhe a mais,
Eu te digo que eu nem sei.
Eu nem sei se eu quero mudar,
Ficar diferente ou como está.
Tentativas não levam a nada,
Quando são tão equivocadas.
Tenho que tentar de novo,
Não sei quando virá o meu sono profundo,
Eu tenho que experimentar o sabor 
de ser feliz ainda neste mundo.
O que de minhas mãos escapou,
Eu desfaço de tantas migalhas.
Ou você me dá o seu amor,
Ou não me dê nada!
Amar você não é um jeito de viver,
Ver a sua felicidade brilhar ,
Não que você não mereça,
Mas cadê as voltas que a vida dá?
Chega, nada muda sem uma decisão!
Cansei de ser brinquedo, ser qualquer uma,
Ou mudo eu de postura,
Ou não muda coisa nenhuma.
Amar também pode ser um erro,
E errar todo mundo pode.
Você não pode é abusar,
do amor que de alguma forma é covarde.
Fui covarde sim, me escondi!
Fui sua e nunca fui minha.
Quero que mude tudo agora,
Nada perde, quem nada tinha.

Adiante


Sugaram minha energia.
Eu nem sabia que podia voar.
Escureceram o meu dia.
Me deixaram totalmente sem ar.
Eu até tinha asas fortes,
Mas fiquei presa ao chão.
A lama que atiravam era forte,
Eu só prendi a respiração.
Eu não merecia isso.
Um amor que eu tomei como meu,
Outro fingindo que o que eu mais queria,
finalmente apareceu.
Decepções todos temos.
Mas  como reagir?
Quanto tempo nós perdemos
com o que nunca vai existir?
Vampirizaram a minha alma.
Fui eu que entreguei meus sonhos?
Nem lembro qual o limite,
Entre ser feliz e ser um louco.
Beberam o sangue da minha alegria,
Me convidaram sorrindo para o abismo.
Me atiraram e me deixaram.
Não podia acreditar em sorrisos.
Cadê os meus sonhos, onde estão?
Vocês vão me deixar aqui?
Fecharam a porta na minha cara,
E eu não podia entrar em mim.
Vampirizaram e enfraqueceram.
A força que eu busquei,
Eu nem sabia que estava em mim.
Não deixem que roubem a sua alegria,
Felicidade está em você conseguir.
Saiam sugadores de energia,
Fechei os ouvidos e não tenho mais tempo!
Vou fortalecer as minhas asas,
Eu preciso levantar voo!
Peguei meus sonhos de volta,
Embora estivessem empoeirados.
Ainda bem que aprendi a voar.
Fênix nem sempre é só um pássaro.
Sugaram minha energia,
Eu fiquei sem minha alma.
Tolerei e aprendi que os limites,
Você coloca, você espalha.
Nunca mais entrarei no abismo.
Não falo para onde vou,
Nem finjam se importar.
A energia que em mim ficou,
vocês não vão retirar.
Nunca mais permitirei que me tirem,
o que eu tenho como importante.
E seu eu ver vocês no abismo,
Desculpem, mas sigo adiante!





Presença

Não sabia a diferença entre a presença e o nunca estar. Eu não soube desde sempre, Eu nunca estava lá. Só algo que já passou, Ou semp...