segunda-feira, 28 de julho de 2014

Falam

 
Falam de flores,
falam de cores,
Falam de cheiros,
Falam de espelhos.
Falam de sonhos,
Mas não te fortalecem,
Falam de força,
Mas te enfraquecem.
Falam de amizade,
Mas não com pessoas,
Falam de sinceridade,
Mas a verdade não é sempre boa.
Falam de amor,
Mas não falam do abandono,
Falam das viagens,
Mas não falam da rotina.
Falam da sua luz,
Mas vivem te apagando,
Falam que você pode tudo,
Mas vivem te mudando.
Falam do vazio,
Mas nem tudo é solidão.
Falam de tudo,
E continuam chorando o mesmo não.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Quantos?

Quanto tempo a gente leva para crescer?
Quantos anos duram o processo?
O que chamam de amadurecer?
Quando é retroagir e quando é progresso?
Quantos sonhos cabem numa noite?
Quantas loucuras te dão o sangue na veia?
Quantas crianças inventaram as regras?
Quantas  as que sabem que é brincadeira?
Quantos colchões guardam lágrimas antigas?
Quantas mulheres ainda são meninas?
Quantas pessoas possuem o dom de ser?
Quantas pessoas se orgulhar pelo ter?
Quantas dores cabem numa história?
Quanta perfeição cabe na maquiagem?
Quantos amores foram inventados?
Quantos que amam e apenas são usados?
Quantas tranças no cabelo viram cordas?
Quantas princesas possuem pulsos cortados?
Quantos sonhos não são nada no mundo globalizado?
Quantas sextas feiras fazem um grupo de amigos?
Quantas besteiras fala quem não interessa?
Quantas pessoas julgam sem conhecer?
Quantos saltos são feitos de falso poder?
Quantos perfeitos são apenas seres humanos?
Quantas lágrimas correm para dizer um te amo?
Quantas pessoas são capazes de se realizar?
Quantas respostas são possíveis de se quantificar?

Se você pudesse


Se você pudesse respirar , respiraria agora?
Se você pudesse mergulhar,
Entraria em outra história?
Se você pudesse se apaixonar,
acharia uma droga?
Se você pudesse imaginar,
Pensaria outra história?
Se você pudesse reinventar,
mudaria alguma coisa?
Se você pudesse dar a chance,
julgaria pela face?
Se você pudesse voltar atras,
deixaria tudo em paz?
Se você pudesse mudar o mundo,
sairia da sua cama?
Se você pudesse fazer as pessoas ver a verdade,
diria quem não o ama?
Se você pudesse mandar alguém,
enviaria seu único filho?
Se você pudesse pintar a parede,
iria gostar mais do bolor?
Se você pudesse nadar mil mares,
preferiria a terra firme?
Se você pudesse realizar seus sonhos,
Mudaria a vitrine?
Se você pudesse cair de cabeça,
Se orgulharia das cicatrizes?

Para Sempre


E se fossem flores no lugar de espinhos?
E se fossem cores no lugar do cinza?
E se fossem amores no lugar de ilusões?
E se fosse de verdade, a verdade e as razões?
E se tivesse sido azul, sem nuvem e trovão?
E se tivesse sido feliz o pulsar do coração?
E se houvesse estrelas a noite
e nenhum monstro embaixo da cama?
E se tivesse caído um anjo só para proteger quem ama?
E se eu tivesse sido a mesma do inicio?
E se matar quem você odeia não for um suicídio?
E se você questiona quem fez algo por você?
E se não era ajuda, era para enganar você?
E se eu tivesse visto o caminho mais além?
E se eu não tivesse sido do meu sonho, um refém?
E se eu soubesse que era minha vida?
Que eu tinha direitos de  não abortar os meus sonhos?
Porque ninguém acendeu a luz do meu quarto quando eu gritei?
Porque ninguém me explicou que as coisas não voltam?
Porque a vida não esperou as compreensões sendo amena?
E se no lugar de ajuda eu tivesse cuspido ódio?
E se no lugar de lembranças eu tivesse visto o óbvio?
E se fosse tudo realmente diferente?
Questionaria o outro lado?
e se os 'e se...' forem para sempre?

domingo, 6 de julho de 2014

Maldição


Era tudo para um único ser...
Era a unica coisa que importava,
um dia chegaria a alegria,
e a felicidade que eu esperava.
Era óbvio que foi confuso,
a opinião nem minha era.
Era viver pulando entre muros,
um dia de ódio,
mil dias te amava.
Era saber que você podia mudar,
e eu podia te encontrar de novo nesta vida,
apenas por saber que você respirava,
a vida em mim sempre renovava.
Era saber que teria de sair da fantasia,
Mas a realidade o que me guardava?
Quantos arrependimentos cabem em mim?
Quantas despedidas de quantas sacadas?
Eu era tão daquele jeito,
O tempo passou e eu nem vi.
Chorei, gritei, falei...mas o meu grito ficou aqui.
Parece que eu tenho que me conformar,
Que viver é morrer cada instante.
Feliz eu não serei mais,
perdi a oportunidade de ser como antes.
Viver fora de mim, porque a alma já morreu.
Podia falecer o amor, para saber quem viveu...
Você respira e constrói coisas,
Eu tropeço nos mesmos sonhos.
Uma vida perdida por um amor,
amor é maldição e eu te amaldiçoo.

Presença

Não sabia a diferença entre a presença e o nunca estar. Eu não soube desde sempre, Eu nunca estava lá. Só algo que já passou, Ou semp...