Indefinidos



Não sou tua,
Nada espero de você.
Não te domino,
Nem domino seu querer.
Nada me surpreende,
Nessa sua falta de amor,
Nada em você me prende,
Nessa instabilidade sem dor.
Não dói, não seca,
Não cede, Nem nada.
É um vazio cheio de nada,
É um sentimento que precisa ser guardado,
É um sentimento que faz tudo ser pecado,
É um amor que não nasceu para ser amado.
Não sou eu...
É você quem distancia,
É você quem restringe,
Vivemos essa fantasia.
Esse amor gélido,
Esse amor escuro,
Esse amor que não existe,
E não pode ser maduro.
É você que não me tem,
É você que se isenta,
É você que age como se fosse nada,
Esse amor que sufoca.
E nessa linha desfiada,
Arrebenta o destino,
A gente se desata,
Querendo estar perto.
É você que não faz questão,
Eu fingo que não ligo,
Esse amor vai morrendo,
Em mim procurando abrigo.
Não somos dois,
Mas sempre seremos um,
Pagaremos por nosso orgulho,
Não somos o que sempre seremos.
Amantes, sem definição.

Comentários

Postagens mais visitadas