segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Enterro


Eu vou te amar enquanto eu morrer.
Eu vou chorar enquanto eu morrer.
Eu vou te respirar enquanto eu morrer,
Eu vou sumir pra te transparecer.
Eu vou te viver enquanto eu morrer.
Eu vou te querer enquanto eu morrer.
Eu vou sobreviver enquanto eu morrer.
Eu vou morrendo enquanto eu viver.
Eu vou te sonhando enquanto eu morrer.
Eu vou te gritando enquanto eu sufoco.
Eu vou te procurando enquanto eu me perco.
Eu vou te perdendo enquanto eu não me vi ganhando.
Eu vou te amar enquanto eu morrer.
Eu nunca soube mais o que é viver.
Eu vou te amar só enquanto eu existir.
Eu aceito a morte iminente desse eu que morre sempre.
Eu aceito o fim desse amor que nunca me amou.
Vai vivendo, vou morrendo, não tem sol, só luar.
Meus passos, num velório,
Eu sorrindo de mim mesma.
Meus passos na vida real,
Não tem muita firmeza.
Eu vou te amar só enquanto eu estiver aqui na terra.
A eternidade não me disse, se te amar é o que me resta.
Só enquanto eu morrer, eu vou te amar.
Só disso saber, passo  me odiar.
Cadê a minha força? Porque me faz tão fraca?
Perder eu perdi, e nunca ganhei nada.
Amanhece e você vive,
Mais um dia para eu morrer.
Amor porque é livre, se me prende para nunca nascer?
Só enquanto eu morrer, não pense em mim.
Devo padecer nesse amor que não sai de mim.
Jogue a terra na minha face,
e me faça um pouco feliz.
Já que a dor de amar-te, faz um enterro do meu existir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Presença

Não sabia a diferença entre a presença e o nunca estar. Eu não soube desde sempre, Eu nunca estava lá. Só algo que já passou, Ou semp...