domingo, 29 de março de 2015

Não perdi a fé


Não perdi a fé na vida,
Nos meus sonhos existem cores.
Ainda gosto de banho de chuva,
Apesar de carregar algumas dores.
Não deixei de acreditar,
Ainda prezo minhas amizades,
Não deixei de saber amar,
Apesar de esquecer as vaidades.
As borboletas ainda me encantam,
E observo quando há flores no asfalto,
As vezes eu esqueço os problemas,
Apenas olhando para o alto.
Não esqueci o que são sonhos,
É que as vezes preciso relembrar,
Que assim como passam as alegrias,
As lágrimas também vão passar.
Eu ainda ando descalça,
Eu gosto do balanço da rede,
Eu ainda vejo portas,
Onde alguns veem apenas paredes.
Eu não perdi a fé nos detalhes,
Os milagres existem aos montes,
Eu guardo uma colcha de retalhos,
e vale mais que um diamante.
Eu não perdi a fé nas pessoas,
É que as vezes criamos projeções,
Não sou apenas fracassos,
Nas minhas tentativas vivi valiosas emoções.
Ainda me pego sendo ingenua,
menina boba apesar de mulher feita,
Desejos e sonhos tão sutis,
Simples ambições moram em mim.
Não perdi a fé na vida,
Eu quero é ser feliz,
E todas as dificuldades,
São a base de minha raiz.
É nisso que eu me faço,
Cresço e apareço,
Quem tem fé tem tudo,
E felicidade eu mereço!
Eu faço uma oração,
Com o meu coração de criança,
Não perdi a fé nos meus sonhos,
E feliz é aquele que tem esperança!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Presença

Não sabia a diferença entre a presença e o nunca estar. Eu não soube desde sempre, Eu nunca estava lá. Só algo que já passou, Ou semp...