Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015

Fardo

Uma vida inteira não basta,
Precisamos de mais tempo.
Um perdão, uma noite...
Não demonstra o sentimento.
Mundos diferentes,
Sofre tanto o coração,
Nunca te alcanço,
É melhor seguir com o não.
O amor nada entende,
Não sabe as diferenças,
Enfrentar o mundo,
é muita fé e pouca crença.
Deixe-me seguir...
Sempre sozinha, sempre vazia.
Deixe-me morrer por dentro...
Assim sem paz, assim sem vida.
Foram as circunstâncias,
Ou a nossa fragilidade,
Foram tantas coisas,
Nossa realidade.
Sempre faltará algo,
E seguir assim é triste,
A vida se torna um fardo,
E sorriem os infelizes.
Sinto muito não lutar,
Me acovardo e sofro,
Sempre será amor,
Mesmo que tenha outro.
Essa vida foi injusta,
Com minhas lutas e minhas feridas.
Deixo o amor morrer,
E sigo triste e sozinha.
Se eu pudesse teria feito
Tudo diferente,
Mas o amor não é perfeito,
Nem foi feito pra gente.

Tudo e Nada

E quando não tinha nada,
Restava-lhe sua história. Cansou de implorar, Tristeza na memória. E todos foram embora, E ficou com a alma ferida, E escolheram um lado, Mas ela não sabia. E quando limpou as lágrimas, Chorou  muito por dentro, Chegou a ver na morte  a saída para o seu sofrimento. E quando não tinha nada, Também não tinha ninguém. Roubaram-lhe a sua inocência, E ela ainda disse amém. Perdeu todos os planos, Perdeu o ponto de partida. Perdeu sua liberdade, Até sua esperança estava perdida. E quando não tinha nada, Lembrou que tinha a si mesma, Era tudo que precisava, Não podia ser só fraqueza. Respirou bem profundamente, Sabia que precisava ser forte, Mas para cada cicatriz, Resistiu a um novo corte. E quando não tinha nada, Viu que nada tinha perdido, Foi-se tudo o que não era seu, O que é verdadeiro estava contigo. Sua força e seu sonho, Sua luta e sua dor, Agora só ela podia gritar, Ao mundo que a maltratou. Saiam todos os que não amam, Os que não querem, os que não torcem…

Vá embora

Vá embora.
Mas não fuja.
Vá andando calmamente,
Feche a porta, portas entreabertas não servem.
Vá embora.
Pode chorar.
Sentir não é proibido.
Mas vá, seja sua decisão, seja sua boca e seus ouvidos.
Vá embora.
Não sinta culpa,
Se for preciso, grite!
Mas não cale mais as suas vontades.
Vá embora.
Largue esse passado,
Vá embora dai!
Essas roupas não lhe cabem!
Vá embora,
E daí que você se dedicou?
Ninguém lhe deve nada, aceite!
Vá embora.
Largue essas amizades,
Sentimentos mudam.
Cadê a reciprocidade?
Vá embora.
Dinheiro não é tudo...
Você precisa se amar,
Ser a dona do seu mundo.
Vá embora dessas pessoas,
Que no momento te fazem mal.
Vá embora dessa birra, dessa manha,
Desse instinto irracional.
Largue ele, largue tudo...
Se te faz algum mal,
Para que brigar, o que se leva?
Vai viver a vida real.
Vá, simples assim.
Nem que seja dentro do seu coração.
Vá indo, sem que percebam.
Vai encontrando sua grande paixão.
E na porta dos seus sonhos,
Verá um grande sorriso,
Olhe no espelho,
É esse…

Azar Escolhido

Morreram os sonhos
Venceram os outros,
Acabaram as esperanças,
Venceram as ganâncias.
Estava sufocada,
Não tinha forças para gritar,
Queria uma vida nova,
Mas seus erros não a deixavam tentar.
Desistiu da luta,
Desistiu de tudo,
Se continuasse daquela forma,
Para quê viver no mundo?
A vida não faz sentido,
E ela queria que fizesse.
Acreditou em coisas lindas,
Mas nada ela merece.
Roubaram seu brilho nos olhos,
Seguir adiante com o quê?
Sem sonhos e sentidos,
Querer não é poder.
O tempo está passando
Ela não sai do lugar.
Todos a derrubaram,
Ela não sabia que podia sonhar.
Não soube trapaçar,
Nem vendeu seus propósitos.
Um sonho a zelar,
E perdeu o amor próprio.
Sem saber o que tem lá
do outro lado da passagem,
achou que não viver,
seria sua melhor viagem.
Um corpo estendido,
Era a própria imagem,
Gritava que queria voltar,
Mas já havia desencarnado.
Ninguém a reconhecia.