Pular para o conteúdo principal

Chocolate Quente

Resultado de imagem para mulher segurando caneca
Foi tão difícil pra ti...
Confiou em poucos e não valeu a pena.
Já se viu tão feliz e contou aos outros,
e tornaram tua alegria pequena.
Já acreditou na amizade sem interesse,
No amor que divide a vida,
No futuro que não chegou,
Ter, ser, poder, tudo te frustrou.
Ninguém vê com teus olhos,
Ninguém sente com o teu coração,
Não há palavras que descrevam,
A dor de tanta decepção.
Foi tão difícil porque começou errado,
Não te reconhece naquele ser passado.
Deixaram-lhe de lado,
Amigos, qualquer namorado.
Foi tanta coisa que não explica mais,
Foi difícil crescer sem pais ou paz.
Foi tanto grito sem ser ouvido,
Foi tanto ciúme, tudo sem sentido.
Agora ficou uma folha de outono.
Aprendeu tanto que se sente perdida.
Ninguém te disse que crescer dói tanto,
Ninguém te preparou para tantas despedidas.
Você não casou com o amor da sua vida,
Nunca mais viu sua melhor amiga,
Não tem tanta certeza da profissão escolhida,
Paga contas, as vezes paga uma bebida.
Dentro de ti ainda se sente tão menina,
Esquece a idade e sente saudade de uma vida não vivida.
Saiba minha querida,
Isso é positivo.
Você cresceu tanto com tudo aquilo.
Faça as pazes consigo mesma,
Perdoe aqueles que não sabem lidar com pessoas boas.
Fortaleça seu sonhos, busque forças...
Lembra do dia em que chorou de joelhos? Está mais forte desde então.
Lave seus cabelos, respire profundamente.
No verão tem o mar, no frio tem chocolate quente.
Sempre haverá um amanhã, até aquele que não nos pertence.
Não possua pessoas, limpe sua roupa, não se explique tanto.
Ah minha menina, que difícil foi a vida,
Mas viver é seguir superando.
E quando sorrir de novo, vai lembrar com tanto orgulho de si mesma,
Que aprendeu a viver cada dia como único,
Exatamente porque seus planos infantis não deram certo.
Mas posso te contar um segredo?
Só aprendendo é que se é feliz!
 Essa é sua história, mude seu enredo,
Terá muitas glórias ao superar seus medos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A morte da menina

Morreu ela.
Coitadinha.
A menina,
menininha.
E agora,
Quem enterra?
Quais as culpas,
morrem com ela?
Você que vive,
Me diga por favor,
Como é viver
Sem ser digno?
Morreu você,
Morreram todos.
Andam sem saber,
Que todos somos.
Somos culpados
e inocentes,
Sangue derramado,
Vida inconsequente.
Você é melhor que o morto?
Na escala de quem?
Você se faz melhor que outro,
só por rezar e dizer amém?
Amém uns aos outros,
malditos infelizes.
Não adianta fazer tatuagem,
nas suas cicatrizes.
Vocês a mataram,
Ela morreu sem saber.
Que com a força que ela tinha,
não dependia de vocês.
Morram nos seus casamentos,
morram nas suas rotinas,
Mas não se achem mais vivos,
Que aquela formalizada morta menina!

Rei

Acaba com tudo,
acaba com isso,
Ó poderoso, rei dos reis.
Acaba com o mundo,
Ou muda tudo,
Ó poderoso, eu sou, eu sei.
Será que está assistindo,
Qual prazer isso lhe dá...
Será que mora em todo mundo,
Qual a maldade escolheu inventar.
Se fosse eu criador
Não teria criaturas sem amor.
Mas dão o nome de liberdade,
E ficam expostas as verdades.
Olho para o céu, ou para o mar.
A perfeição é tanta...
Mas está difícil caminhar.
Dói a garganta, arranha.
Se eu soubesse que é bom o lado de lá,
Eu iria agora mesmo.
Mas será a fé apenas um desespero
da vida adulta na infância.
Acaba com a dor, ou me ensina
Como ser daquelas pessoas que sabem sorrir.
Se existe uma luz de verdade aí em cima,
Ilumina o mundo e caia sobre mim.
Será a vida somente isso,
Luta e respira tão pouco.
Ainda bem que o amor é ilusão,
Pois só ilusões dão sentido a esse mundo tolo.