sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Carta de despedida




 


Eu não vou tirar a minha vida.
Nem vou fazer escândalo na porta do seu prédio,
Não vou usar nossa história como chantagem,
Não vou te convencer do que pode ser certo.
Eu não vou contar para as minhas amigas,
Nem vou compôr nenhuma melodia,
Vou fingir que nosso amor não existiu,
Assim quem sabe eu vejo a luz do dia.
O que mais me dói de tudo isso,
O que mata a minha alma aos poucos,
É saber que não há compromisso,
E que o meu sentimento é pouco.
Eu não vou ajoelhar no meio da rua,
Nem vou enviar nenhuma carta que fantasiei.
Eu não vou dizer que a culpa é sua,
Nem que você sabia o que nem eu sei.
O pior de tudo isso é que eu não vou fazer nada.
 Seguirei a vida,
Nem sei o que isso significa.
O  pior é essa vida ser ingrata,
Você tem tudo e de repente é nada.
O pior é que todo dia será igual,
E nenhuma dor será deste tamanho,
Vou atender o telefone, trabalhar, ir ao banco.
Eles não saberão que estarei morta,
Porque você já me tirou a vida.
O pior é saber que me rasgo inteira,
Quando rasgo essa sua carta de despedida.

Presença

Não sabia a diferença entre a presença e o nunca estar. Eu não soube desde sempre, Eu nunca estava lá. Só algo que já passou, Ou semp...