Pular para o conteúdo principal

Sentir e Ser

Resultado de imagem para passaro voando sombra

Tudo bem se o mundo acabar amanhã,
Tudo bem se ele nunca se esvair.
Tudo bem se você for embora,
Eu nunca vou te impedir.
Tudo bem se ninguém ficar,
Eu sou sozinha mesmo.
Eu fiz questão de coisas que nem lembro,
Eu não soube dar um tempo.
Essa história de dar tempo ao tempo,
Quem consegue saber?
Eu espero morrer em paz,
Pela aceitação do aprender.
Nem sempre essa vida faz sentido,
Troquei de fantasia e nem sei
Qual  realidade eu fiz,
Qual a verdade que deixei para trás?
Todos passam por aqui,
Eu sou apenas um caminho.
Pisaram nos meus sonhos,
e meu coração está vazio.
Tudo bem se esse amor acabar,
É isso que eu espero dele.
Tudo bem se eu sentir no coração,
Sou grata por aprender sobre a gratidão.
Tudo bem se amanhã eu morrer,
Seria um alívio para meu futuro incerto.
Mas se a certeza da vida é a morte,
Quem você tem de fato?
Tudo bem se parece que nunca,
Eu me acostumei a contornar pedras.
Sou um rio seguindo para lugar nenhum,
Sem um mar para encontrar.
Pode me culpar, se isso te fizer bem.
Eu já não me importo com o externo.
Dentro de mim encontrei alguém,
Que é um ser eterno.
Tudo bem se o mundo acabar,
O meu mundo já sofreu tsunamis e furacões.
Nem sempre todo mundo estará bem,
Sorrisos escondem corações.
Antes do mundo acabar,
Eu aprecio a paz de não desejar.
Deixe-me nesse vazio calculado,
Eu sei que posso voar.
Talvez o mundo não acabe amanhã,
Talvez eu seja feliz.
Tudo bem se você navegar,
Eu tenho na alma a cicatriz.
Talvez não  acabe o mundo,
Eu é que preciso transcender,
Eu preciso descobrir o que vem depois,
Você se vai, eu preciso ser.
Não ter, pensar, falar...sentir e ser.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A morte da menina

Morreu ela.
Coitadinha.
A menina,
menininha.
E agora,
Quem enterra?
Quais as culpas,
morrem com ela?
Você que vive,
Me diga por favor,
Como é viver
Sem ser digno?
Morreu você,
Morreram todos.
Andam sem saber,
Que todos somos.
Somos culpados
e inocentes,
Sangue derramado,
Vida inconsequente.
Você é melhor que o morto?
Na escala de quem?
Você se faz melhor que outro,
só por rezar e dizer amém?
Amém uns aos outros,
malditos infelizes.
Não adianta fazer tatuagem,
nas suas cicatrizes.
Vocês a mataram,
Ela morreu sem saber.
Que com a força que ela tinha,
não dependia de vocês.
Morram nos seus casamentos,
morram nas suas rotinas,
Mas não se achem mais vivos,
Que aquela formalizada morta menina!

Rei

Acaba com tudo,
acaba com isso,
Ó poderoso, rei dos reis.
Acaba com o mundo,
Ou muda tudo,
Ó poderoso, eu sou, eu sei.
Será que está assistindo,
Qual prazer isso lhe dá...
Será que mora em todo mundo,
Qual a maldade escolheu inventar.
Se fosse eu criador
Não teria criaturas sem amor.
Mas dão o nome de liberdade,
E ficam expostas as verdades.
Olho para o céu, ou para o mar.
A perfeição é tanta...
Mas está difícil caminhar.
Dói a garganta, arranha.
Se eu soubesse que é bom o lado de lá,
Eu iria agora mesmo.
Mas será a fé apenas um desespero
da vida adulta na infância.
Acaba com a dor, ou me ensina
Como ser daquelas pessoas que sabem sorrir.
Se existe uma luz de verdade aí em cima,
Ilumina o mundo e caia sobre mim.
Será a vida somente isso,
Luta e respira tão pouco.
Ainda bem que o amor é ilusão,
Pois só ilusões dão sentido a esse mundo tolo.