Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2018

Morri

Morri para o mundo,
mas não nasci para deus,
não nasci para deuses,
não nasci para ninguém...
Quantos erros profundos,
Nada vale a pena,
Nada era meu,
A benção é do ateu.
Maldita mania,
Maldita menina,
Maldita esperança,
De viver todo dia.
Morri por dentro,
Morri sozinha,
Na poça de sangue,
Que me faz qualquer uma.
Não sou puritana,
Mas que valor isso tem?
Não sou um santa,
Mas tudo em troca do amém?
Morri nos braços dos sonhos,
Esse mundo é pesado demais para mim.
Esse mundo é cruel, mentiroso...
Esse é o mundo dos outros.
Morri, mas não chore,
Não contem a ninguém.
Morri e morreram muitos poréns.
Nada é meu,
Nenhum lugar me acolhe,
Eu não me encaixo,
Nunca me acho.
Sigo morta,
tomando café...
Fingindo saber
pra onde leva essa tal de fé.
Não quero velório,
Já estou velando meus sonhos.
Não quero enterro,
Nem flor, nem nada.
Quero que suas lágrimas,
molhem minhas palavras.
Talvez estejamos todos mortos,
Talvez os deuses velem nossos corpos.

Momento

Não era esse,
Não era essa,
Não era ele,
Não era ela.
Aguarde o próximo
ônibus, emprego, amor.
Fica pra próxima,
Depois eu te ligo.
Somos passagens,
Mas eu sou flutuante.
Alguns são paisagens,
Eu sou um instante.
Nessa passagem de vida,
Nada levo comigo,

Era pra ter sido...

Se não é para ser… Então nunca é. O existir só faz parte, Do ser como é. Ainda que fosse cedo, O passado não é uma benção. Muitas vezes um alívio, Apenas por não ser mais. Isso não era para ser... Se fosse teria dado certo. Seriam essas palavras soltas, Para que não venha o desespero? Se não é para ser... Talvez não haja um formato. Talvez a gente vá desenhando, No passo o nosso traço. E se foi mas não é mais, Creio que não foi de fato. Se tudo é aprendizado, Como pode existir algo errado? Muitas vezes fomos nada, Só não sabíamos dessa fragilidade. Muitas sorrisos escondem lágrimas, Na angustia da infelicidade. Só comigo que não é? Só o que foi e não é mais tem valor? Foi porque nasci mulher,