Pular para o conteúdo principal

Porão

Resultado de imagem para porão escuro

Eu guardei coisas.
Haviam várias coisas estranhas numa caixa,
Nem reconheci que eram minhas.
Eu guardei mágoas,
Haviam várias dentro do meu coração,
Nem sabia da minha capacidade de odiar.
Guardei o que sentia,
Deixava para outra hora,
Sempre um novo dia,
Sempre outras história.
Me iludi achando que os dias eram iguais.
Porque essa é uma armadilha do tempo,
Fazer você achar que tudo bem estar só,
E não se resolver por dentro.
Guardei uma centena de imagens,
Nem sei qual delas aconteceu.
Guardei as malas de uma viagem,
Que desisti porque anoiteceu.
Guardei um amor no coração,
Guardei o ódio todo dia.
Achei que tudo bem não ser feliz,
Se ninguém é, por que eu seria?
Guardei a minha vida para depois.
Depois eu fui vendo todo mundo longe.
Guardei o carvão embaixo do travesseiro,
Achando que ele acordaria diamante.
Eu guardei culpas.
Que bobagens, nem eram minhas.
Eu me achei a pior pessoa,
Apenas por ser só minha.
Fiz uma limpeza no porão.
Tirei de lá as tralhas, coisas e roupas sujas.
Tirei também do meu coração,
Aqui só fica o que me modifica.
Joguei fora meu orgulho, até as minhas tentativas em vão.
Se for para ser feliz um dia,
Até das minhas certezas abro mão.
Que alivio não ter certezas, nem mágoa, nem rancor.
Assim como frio não entra, apenas o que sai é o calor.
Só entra o que eu permito, Só sai o que eu tenho.
E dona de tudo em mim,
Limpei tudo para um recomeço.
Apago as luzes do passado,
De vez em quando vou entrar lá,
Mas o presente é onde eu moro,
E nessa casa eu quero ficar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amém

Ouvi falar que há vida
Talvez além da morte
Chamam a isso de sobrevida
prolongamento ao infinito.
Ouvi falar que muitos morrem
E eu não acho isso natural
Tão estranho como nascer
É não ter a palavra final.
Mas não importa no dia a dia,
Esses dias choraram alguns...
Outros tantos não sabiam,
Que a dor pode ser de qualquer um.
Não importa as marcas,
do seu carro ou de tantas coisas.
O que corrompe a sua alma,
É o que afunda qualquer pessoa.
Estou sempre um passo a frente,
Correndo até a próxima dor.
Talvez eu devesse respirar,
No intervalo desse momento.
Não preciso de sobrevida,
Eu preciso sobreviver.
Não encontro a saída,
Mas estou dentro de quê?
Não me sinto parte de nada
Os anos estão passando por cima de mim,
Às vezes o gosto de uma lágrima,
Me lembra que preciso sobreviver.
Se preocupam com a vida após seu fim,
Mas abandonam o que sentem agora,
Eu preciso ser dona de mim,
Respirar um pouco lá fora.
Talvez todos chorem um dia,
Mas nem por isso aprendam a ser melhor.
Eu não quero o…

Pobre Menina

Pobre menina...
Nada soube da vida,
Não soube do amor,
Não achou a saída.
Pobre menina...
Sorria amarelo,
Caiu de joelhos,
Nunca levantou.
Pobre menina...
Tranças compridas,
Tarefa cumprida,
Rua vazia.
Pobre menina...
Magoada com o mundo,
Chorou absurdos,
Ninguém estava lá.
Pobre menina...
Nada fez direito,
Nunca acertou,
Tão cheia de defeitos.
Pobre menina...
Seu amor não vale nada,
Bebe águas passadas,
Está se afogando.
Pobre menina...
Seu sorriso esconde um desespero,
Toda noite tem pesadelos,
Nunca soube se encontrar.
Pobre menina,
Esperou felicidade,
Foi só metade,
Não se deixou ser inteira.
Pobre menina rica,
Pobre menina pobre,
Pobre menina iluminada,
Pobre menina mal amada.
Pobre menina mulher,
Pobre inocência explorada.
Pobre maldade tão doce,
Pobre sonhos no chão,
Pobre amor de outrora,
Pobre de quem tem coração.
Pobre falta de amor,
Pobre é toda ilusão,
Pobre menina linda,
Nunca soube o quanto é linda.
Pobre vida que morre,
Pobre morte pedida.
Pobre menina...
Nunca soube s…